Equipe de Thiago Fragoso divulga atual estado de saúde do ator

O ator Thiago Fragoso precisou se ausentar da reta final da novela O Outro Lado do Paraíso, após passar mal durante as gravações na semana passada, sofrendo com oscilação de pressão e dores na coluna. Após encerrar todos os trabalhos, ele passou por uma cirurgia para a retirada de um nódulo nos rins em São Paulo neste domingo (22).

Passado o procedimento, a assessoria do ator divulgou novas informações sobre o seu atual estado de saúde. “Gostaríamos de agradecer em nome do ator todo carinho que tem chegado até ele. Aproveitamos para informar em primeiro lugar que ele encontra-se bem e descansando”, afirmou a equipe.

Agora, o ator não tem mais data para voltar aos Estúdios Globo e está sendo substituído por um dublê nas cenas da reta final. Segundo a equipe, “o procedimento foi realizado com sucesso”. “O ator aproveitou os dias que não grava para realização de exames, onde foi constatada a necessidade de se submeter a uma cirurgia nos rins para retirada de um nódulo”, explica.

“Estamos muito felizes em confirmar que o procedimento realizado foi um sucesso e que Thiago poderá em breve retornar as suas atividades, o que inclui gravar a novela ‘O Outro Lado do Paraíso’”, finaliza a assessoria.

Os nódulos no rim, como os que o ator global Thiago Fragoso, 36 anos, teve de retirar em abril, não são uma doença comum. Segundo a médica Leda Letaiff, diretora da Sociedade Brasileira de Nefrologia, 4 em cada 100 mil pessoas vão desenvolver um tumor no rim. “É um tipo de tumor que não está entre os mais comuns, representa de 2% a 3% do total de casos”, afirma a médica. Assim como aconteceu com o ator, o problema geralmente é constatado por acaso.

“Apenas nos casos mais avançados é que a doença passa a ter sintomas como dor e sangramentos. Geralmente os nódulos são descobertos em exames por imagem feitos por outros motivos”, diz Leda. Aumento da pressão arterial e perda brusca de peso também são comuns em casos graves. O médico Cristiano Gomes, do Núcleo Avançado de Urologia do Hospital Sírio Libanês, afirma que a taxa de cura é acima de 90% nos casos em que o nódulo é descoberto rapidamente. “Geralmente,aretirada cirúrgica dos nódulosésuficiente, seguida por um acompanhamento médico”, diz.

Mais de metade dos nódulos não são malignos. “A retirada só é feita quando são malignos ou quando, apesar de serem benignos, eles têm um crescimento rápido”, diz Gomes. Em alguns casos, segundo ele, o médico opta pela retirada porque os exames de imagem não foram conclusivos de que o tumor era ou não maligno. Ele afirma que nos casos mais graves pode ser necessária a retirada parcial ou até mesmo total de um dos rins.

Outra preocupaçãoécom a possibilidade de metástase, quando a doença é transmitida para outros órgãos. O fumo, o sedentarismo e o excesso de peso são considerados fatores de risco.

Cisto é mais comum após os 30 anos

Diferentemente dos nódulos, que podem ser benignos ou malignos, os cistos são comuns no rim das pessoas com mais de 30 anos e não representam riscos à saúde, segundo anefrologista Maria Claudia Cruz Andreoli, do Hospital Israelita Albert Einstein. “Os cistos são como bolhas, com um líquido na parte interna. Os nódulos são tecidos”, afirma. Segundo a médica, existem ainda formações que são cisto em uma parte e nódulo em outra. Nesse caso, a formação pode ser maligna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading...